desporto mocambicano

Triunfo dos touros em Chimoio culmina com apedrejamento aos árbitros e gás lacrimogéneo para dispersar tumultos

  • 221

A Associação Black Bulls registou mais uma vitória no Moçambola, desta feita frente ao Textáfrica do Chimoio por duas bolas a uma, numa partida que terminou com a contestação dos adeptos da equipa da casa a actuação do árbitro Guilherme Malagueta, o que obrigou a Força de Intervenção Rápida a intervir, lançando gás lacrimogéneo que atingiu jogadores, treinadores e até jornalistas que cobriam o jogo. Em causa estava uma alegada grande penalidade a favor da equipa da casa que não foi assinalada.

 

Por Redacção LanceMZ

 

Mais um jogo do Moçambola 2024 acabou terminando com um cenário que não se pretende ver no futebol nacional, marcado por actos de contestação dos adeptos que roçam o intolerável, pois o arremesso de pedras e as tentativas de agressão ao árbitro Guilherme Malagueta.

 

A Polícia da República de Moçambique através da sua Força de Intervenção Rápida voltou a demonstrar falta de preparo para lidar com tumultos em recintos desportivos, pois o disparo de gás lacrimogéneo de forma descontrolada para dispersar os adeptos que protestavam acabou não obedecendo ao expectável, pois acabou atingido há quem nada tinha haver com os tumultos.

 

Tudo isto aconteceu por conta da reclamação de uma pretensa grande penalidade, após falta sobre um ataque da equipa da casa que cai no interior da área de baliza, alegadamente na sequência de um toque do defesa dos “touros”.

 

Jogava-se o minuto de compensação e o resultado estava em 1-2 e os adeptos viram o 2º assistente Nelson Chicoche a levantar a bandeirola, mas o árbitro Guilherme Malagueta entendeu que não havia motivos para se assinalar a grande penalidade, o que provocou a ira dos adeptos, numa altura em que o resultado estava em 1-2.

 

ERNAN SILUANE A EVITAR O PIOR

 

Na antevisão do jogo, o treinador Hélder Duarte já antevia que a sua equipa não teria facilidades no Chimoio, face à irregularidade do piso do Campo da Soalpo. Porém, foram os “touros” que chegaram ao primeiro golo, fruto de um centro que veio da esquerda para encontrar Kadre a fazer um remate acrobático com a bola a ir anichar-se no fundo das redes defendidas por Makarufo. Era o golo inaugural aos 29 minutos.

 

O Textáfrica do Chimoio encolheu após este golo que dava vantagem à turma da Black Bulls que foi ao intervalo com uma vantagem magra.

 

Depois do descanso, a equipa da casa continuou apática, sem conseguir reagir às investidas dos visitantes que num boa jogada de envolvimento, com a bola a ser cruzada pela direita para Victor Tesoura a aparecer no lugar certo para ampliar a vantagem para duas bolas a zero.

 

Apesar da desvantagem, os Fabris do Planalto reagiram e foram à busca do golo, porém encontraram uma forte oposição do guarda-redes Ernani Siluane que defendeu todas bolas que chegavam à sua baliza, retardando o golo do Textáfrica do Chimoio.

 

Só à passagem do minuto 84 é que conseguiram chegar ao golo, com Dilson a devolver a esperança de os donos da casa saírem da partida com o mínimo de um empate.

 

Por isso a pressão continuou e foi já no período de compensação quando um atleta cai no interior da área de baliza, o árbitro Guilherme Malagueta não validou a intenção dos atletas e adeptos da equipa da de se assinalar uma grande penalidade.

 

A partida prosseguiu até ao momento indesejável, com adeptos a atirarem pedras e tudo quanto era objectos contundentes para o interior do relvado, enquanto outro invadiram a zona restrita ao pessoal ligado à organização do jogo e isso obrigou a FIR – Força de Intervenção que arremessou gás lacrimogéneo para dispersar os adeptos que excederam-se nos protestos. (LANCEMZ)

 

“Ernan deu-nos três pontos” – Hélder Duarte, Treinador da Black Bulls

 

“Conseguimos fazer três golos e podíamos ter feito o terceiro e não fizemos, mas depois eles também fizeram o 1-2, no entanto tivemos a seguir uma boa exibição do guarda-redes Ernan a quem vocês lançam críticas da sua actuação que nem sempre está bem, mas hoje deu-nos os três pontos. Parabéns para eles e para nós também, pelo aquilo que fizemos, fomos os justos vencedores.”

 

 

“Queríamos ganhar em casa” – Gimo Patrício, Director Desportivo Textáfrica do Chimoio

 

“É verdade que o nosso desejo era tirar os três pontos no jogo em casa, mas não conseguimos e continuaremos a trabalhar para conseguirmos na próxima jornada. A polícia veio aqui para fazer o seu trabalho, mas infelizmente não conseguiu controlar os adeptos da equipa da casa”.

 

 

 

 

Notícias Relacionadas
Ads - Anuncio 3
Todos os direitos reservados a Lance. Registrado no GABINFO: REGISTO: 57/GABINFO-DEPC/210/2022 .