desporto mocambicano

Opinião de Alfredo Júnior: que sejam árbitros de elite de facto!

  • 540

As três primeiras jornadas do Moçambola 2024 foram marcadas por queixas recorrentes da péssima actuação dos árbitros, com o quarteto formado por Paulo Afito (que é da Comissão Provincial de Árbitros de Nampula), que teve como 1º auxiliar Momade Tembe e 2º Auxiliar: Macário Gaveto, contando ainda como 4º árbitro Chabane Wissu – (de Cabo Delgado) a ser o que mais foi criticado pela péssima actuação no jogo Baía de Pemba FC - Ferroviário de Maputo que teve erros de todo tamanho: desde o ajuizamentos que fere a verdade desportiva a fraca interpretação das Leis do Jogo de Futebol. 

 

Por Alfredo Júnior 

 

Durante o período da selecção dos “Árbitros de Elite” para o Moçambola 2024 insisti com o presidente da CNAF, o meu amigo Francisco Machel, sobre a necessidade de, para além dos testes físicos, ser importante fazer-se testes teóricos que avaliassem o conhecimento dos árbitros sobre a aplicação das Leis do Jogo com casos práticos, pois os erros recorrentes dos árbitros têm denotado fraco conhecimento teórico das 17 Regras do Jogo de Futebol. 

 

O meu bom amigo garantiu-me que essa avaliação é feita, porém a prática na três jornadas tem mostrado contrário, pois uma boa parte dos árbitros que têm dirigido os jogos do Moçambola demonstram estarem desatualizados ou mesmo desconhecerem as regras elementares do jogo de futebol e a sua plena interpretação. 

 

Outra coisa que torci o nariz é essa coisa de para compor a lista dos 50 “árbitros de elite” ser imperioso que se observe a questão da Unidade Nacional…não tenho nada contra este princípio, desde que antes dela venha a questão qualidade teórica e da aptidão física! 

 

A cada jogo do Moçambola 2024, estamos a observar problemas recorrentes com árbitros de regiões com pouca rodagem, ou seja, com poucos jogos na pré-época, para além de haver campos em que o anfitrião tem que ganhar a todo custo, recorrendo para tal a práticas corruptas e nocivas ao futebol, …isso não deve ser assim! 

 

Em Maputo, já tivemos um quarteto de arbitragem a ser escoltado por 70 agentes da PRM que se faziam transportar em 7 Mahindras que se fizeram ao Campo do Costa do Sol para salvar a pele dos homens de apito que haviam registado uma arbitragem menos conseguida, com erros básicos ligados à interpretação da Leis do Jogo, e que prejudicaram as duas equipas em campo, ainda que tenham sido os adeptos da formação da casa a saírem com vontade de fazer justiça com as próprias mãos, o que é condenável. 

 

Os árbitros têm que pôr a mão na sua consciência, não podem continuar os actores principais deste nosso futebolzinho…queremos falar jogadas e jogadores que levantam os adeptos e não de homens do apito e bandeirola que chamam a si o protagonismo no final de cada jogo…caso eles não queiram mudar de atitude, que seja a CNAF a penalizar os árbitros infractores e que torne público os castigos a aplicar a esse homens do apito insurretos. 

 

Durante o processo de selecção dos “Árbitros de Elite”, o Presidente da CNAF referiu por várias vezes que os árbitros  quer ver os homens do apito a ganhar dinheiro honestamente, a Liga Moçambicana de Futebol respondeu a essa solicitação aumentando o prémio para uma máximo de 18.500 Meticais (9.500 de prémio e o per diem de 9.000 Meticais se ficarem dois dias fora de casa), porém a actuação dos árbitros certamente tem defraudado a quem apostou neste incremento, pois com as arbitragens que temos assistido em alguns jogos até parece que esses árbitros andam metidos em esquemas de falsificação da verdade desportiva. 

 

Alguém tem que travar este cenário, triste e lamentável no nosso futebol, chega de casos em que os árbitros são os principais protagonistas! 

 

Que sejam “Árbitros de Elite de Facto”, que dignifiquem essa designação adoptada pela CNAF pautando por actuações transparentes e que observem o que emanam as Leis do Jogo de Futebol, caso contrário corremos o perigoso e triste risco de ter mortes em campos de futebol devido a ira dos adeptos na sequência de arbitragens pobres e tendenciosas. 

 

Alfredo Júnior - LanceMZ 

Notícias Relacionadas
Ads - Anuncio 3
Todos os direitos reservados a Lance. Registrado no GABINFO: REGISTO: 57/GABINFO-DEPC/210/2022 .