desporto mocambicano

Canarinhos perdem em Quelimane e queixam-se da arbitragem

  • 1037

O Costa do Sol foi surpreendido na deslocação a Quelimane, tendo perdido por uma bola sem resposta diante do Ferroviário local. O golo foi de penalty apontado por Odilo e no final, Rui Évora, membro da equipa “canarinha”, lançou duras críticas à arbitragem de Fernando Júnior, considerando como um mau exemplo daqui que deve ser o ajuizamento de uma partida de futebol, atirando as culpas aos homens do apito para o fraco nível do futebol moçambicano.

 

Por Redação LanceMZ

 

Os “canarinhos” já sabiam que a deslocação à casa dos “locomotivas” de Quelimane não seria tarefa fácil, mas não esperavam que fosse através de uma grande penalidade por si considerada duvidosa que iriam deixar em casa do adversário os três pontos em disputa.

 

Depois de uma primeira parte em que o nulo prevaleceu, a turma de capital do país sofreu a grande penalidade a passagem do minuto 57 quando Odilo finalizou com êxito o castigo máximo, deixando a equipa do Costa do Sol em situação de desvantagem que prevaleceu até ao apito final da contenda.

 

O Ferroviário de Quelimane conseguiu um resultado que estava longe das cogitações, pois o facto de o Costa do Sol ser crónico candidato ao título dava favoritismo à equipa do treinador português Horácio Gonçalves que está no seu segundo consulado à frente da equipa da capital do país.

 

ROUBO DESCARADO

 

A actuação da arbitragem chefiada por Fernando Júnior que foi auxiliado por Roda Mondlane (1ª Assistente) e Momed Tembe deixou os “canarinhos” com os nervos à flor da pele, desagrado esse que foi expressado por Rui Évora, Director Desportivo dos “canarinhos” que aos microfones da RM Desporto afirmou que “os dirigentes deste país e os dirigentes da CNAF (Comissão Nacional de Árbitros de Futebol) que pensam que isto que estamos a jogar é futebol estão enganados, isto é uma mentira, por isso os resultados da selecção estão maus porque o que acontece nas províncias, não só aqui na Zambézia, é um roubo descarado”.

 

“Isto não é futebol e se não mudar este paradigma no nosso futebol estaremos a mentir sobre a realidade, ando há muitos anos nesta modalidade tempo suficiente para perceber que o que se faz nestes campos está a estragar o futebol moçambicano. Que abram os olhos, se isso não acontecer continuaremos na mesmice de sempre acreditando que um dia o futebol vai crescer, mas isso não vai acontecer mesmo com as academias as coisas não irão mudar enquanto o árbitro decidir quem vai ganhar o jogo”, rematou o antigo guarda-redes do Costa do Sol e da selecção nacional de futebol.

 

Quem estava naturalmente satisfeito com o desfecho do jogo era o treinador do Ferroviário de Quelimane, Rogério Balate, também conhecido por Zulu, que “fizemos uma semana positiva de trabalhos, é uma enorme felicidade não só para os jogadores, mas sobretudo para toda província. Quero aproveitar para agradecer ao público que acorreu ao campo, porque puxou pela equipa quando foi preciso e estamos todos de parabéns”. (LANCEMZ)

Notícias Relacionadas
Ads - Anuncio 3
Todos os direitos reservados a Lance. Registrado no GABINFO: REGISTO: 57/GABINFO-DEPC/210/2022 .