O Secretaria do Estado do Desporto, Carlos Gilberto Mendes, anunciou que a utilização do Estádio Nacional do Zimpeto passará a obedecer a um "/> O Secretaria do Estado do Desporto, Carlos Gilberto Mendes, anunciou que a utilização do Estádio Nacional do Zimpeto passará a obedecer a um "/>
desporto mocambicano

Utilização do Estádio Nacional do Zimpeto já não será de borla nem para os Mambas

  • 605

O Secretaria do Estado do Desporto, Carlos Gilberto Mendes, anunciou que a utilização do Estádio Nacional do Zimpeto passará a obedecer a um novo normal que vai observar o modelo de utilizador pagador, por forma a garantir a existência de fundos para a sua manutenção. Nem a selecção nacional de futebol, Mambas, estará isenta ao pagamento de uma taxa de utilização deste recinto que esteve interditado durante nove meses por não corresponder às exigências da Confederação Africana de Futebol (CAF) que há dias autorizou temporariamente a realização de jogos naquele recinto, particularmente o embate entre Moçambique e a Zâmbia para a primeira eliminatória de acesso ao CHAN-2022.

 

Por Alfredo Júnior

 

Esta decisão surge pelo facto de se ter constatado que o Estádio do Zimpeto era “utilizado por toda gente desde quem queira fazer jogo recreativo, passando pelos clubes moçambicanos e pelas selecções nacionais sem que se observe alguns requisitos de gestão de uma infraestrutura desta dimensão”, disse Mendes.

 

A taxa a ser cobrada que incluirá uma caução para reposição de eventuais danos, ainda não foi definida, estando a ser objecto de estudo.

 

“Não pode custar acima das capacidades das equipas moçambicanas que inscreveram este recinto como a sua casa para a realização dos seus jogos, como é o caso do Ferroviário de Maputo que vai acolher as suas partidas no Zimpeto enquanto o Estádio da Machava estiver em obras. Não queremos ganhar dinheiro, mas queremos que o recinto possa gerar receitas para a sua própria manutenção e se a infraestrutura entrar para o roteiro dos espectáculos organizados por parceiros sul-africanos aí talvez poderemos ganhar algum dinheiro”, explicou Gilberto Mendes.

 

O Fundo de Promoção Desportiva continuará a gerir esta infraestrutura  enquanto se procura a possibilidade de terceirização da gestão do recinto, havendo negociações com a firma South África Stadium Management que poderá integrar este estádio no rol dos que estão sob sua gestão e que para além de acolherem jogos de futebol tem sido palco de vários espectáculos musicais.

 

Na conferência de imprensa concedida por Gilberto Mendes que esteve ladeado pelo Director Nacional de Desporto de Rendimento, Francisco da Conceição,  e da Directora do Fundo de Promoção Desportiva, Amélia Cabral, que referiu que a primeira fase de reabilitação do Estádio do Zimpeto foi concluída com colocação da nova relva natural, colocação dos torniquetes, reposição de tanques de água subterrâneos, manutenção do gerador, reposição da iluminação e do funcionamento das telas gigantes e do sistema sonoro, reabilitação dos balneários das equipas e dos árbitros.

 

Ao todo foram investidos até aqui cerca de 45 milhões de Meticais dos 60 milhões inicialmente previstos, sendo que a última etapa de reabilitação do estádio do Zimpeto  que prevê a colocação de vedação exterior e a reposição dos sanitários públicos está orçada em 15 milhões de Meticais.

 

O Secretário de Estado do Desporto assegurou que a última fase de intervenção no Zimpeto vai terminar antes do jogo que Moçambique vai acolher em Setembro próximo diante do Senegal, referente a etapa de qualificação ao CAN-2023, de modo a permitir que a CAF faça nova Inspecção que poderá culminar com a aprovação definitiva deste recinto. (LANCEMZ)

 

 

 

 

 

 

 

Notícias Relacionadas
Ads - Anuncio 3
Todos os direitos reservados a Lance. Registrado no GABINFO: REGISTO: 57/GABINFO-DEPC/210/2022 .