Moçambique venceu as tr&ecir "/>  Moçambique venceu as tr&ecir "/>
desporto mocambicano

Trio de Ouro completa o pleno para Moçambique no Africano de Boxe

  • 74

 Moçambique venceu as três finais masculinas que tinha pela frente no Campeonato Africano de Boxe terminado este sábado, 17 de Setembro, no Pavilhão da Universidade Eduardo Mondlane. Yassine Nordine, Armando Sigauque e Albino Gabriel ou simplesmente Solomone despacharam os seus adversários conquistando as três medalhas de ouro em disputa, ganhando 10 mil dólares de prémio (cerca de 600 mil Meticais) para cada um dos pugilistas que destacaram o papel do treinador Lucas Sinoia nestas conquistas.

 

Por Alfredo Júnior e Jaime Machel (Fotos)

 

Depois da conquistas das duas medalhas de ouro em femininos, foi a vez dos masculinos entrarem em cena e Yassine Nordine foi o primeiro moçambicano a entrar em cena na final dos 47-48 kg enfrentando Marcial Wouang dos Camarões.

VEJA O RESUMO DOS COMBATES NO NOSSO YOUTUBE  

Naquela que era sua primeira final da sua carreira, Nordine entrou destemido, enfrentando um adversário de menor estatura que a sua, por isso não enfrentou dificuldades para dominar o primeiro e o segundo assalto.

 

No terceiro assalto veio a confirmação da supremacia do moçambicano que voltou a arrancar a pontuação máxima dos juízes deste encontro. E no final a vitória foi inquestionável para Yassine Nordine que levou para casa a primeira medalha de ouro Africana e o Prémio de 10 mil dólares americanos, ou seja cerca de 600 mil Meticais.

 

SIGAUQUE O DEMOLIDOR DE GIGANTES

 

Para a quarta final masculina disputada no pavilhão da Universidade Eduardo Mondlane, subiu ao ringue o pugilista Armando Sigauque para enfrentar  queniano Samuel Njau. Apesar da elevada estatura de Njau quando comparada a altura do moçambicano, Sigauque não se acanhou muito menos se retraiu, atirando golpes a pontuar, vencendo o primeiro assalto com pontuação máxima.

 

Sigauque continuou a desferir fortes golpes ao queniano no terceiro e segundo assaltos, pontuando sempre que pode, ainda que o queniano procurasse defender e atacar para evitar a derrota. No final do combate à vitória sorriu para o moçambicano que conquistou a quarta medalha de ouro para Moçambique, por isso deixando todo o pavilhão a explodir de alegria. À medalha de ouro, Sigauque juntou o merecido Prémio de 10 mil dólares (cerca de 600 mil Meticais) oferecido pela Confederação Africana de Boxe.

 

SOLOMONE TECNICAMENTE MELHOR

 

Para fechar a noite dos moçambicanos nas finais subiu ao ringue o pugilista Albino Gabriel ou simplesmente Solomone como é conhecido nos meandros da modalidade e  enfrentou o camaronês  Arouna Ntosengeh na categoria dos 80-86 kg.

 

Perante um pugilista radicado nos Estados Unidos da América, Solomone não se fez de rogado domingo o combate desde o Primeiro assalto em que os juízes deram-lhe a pontuação máxima.

 

No segundo Round o camaronês usou mais a força na tentativa de derrubar a Solomone que caiu algumas vezes, mas manteve-se em pé e a combater até ao fim, vencendo novamente este assalto tal como no terceiro em que contou com o forte apoio do público para chegar a uma vitória unânime, ou seja, por cinco a zero conquista do a quinta medalha de ouro para o país e encaixando 10 mil dólares de Prémio.

 

Referir que em masculinos o pugilista Paulo Jorge Brito conquistou a medalha de bronze, sendo que Moçambique fez história nesta competição que organizou.  (LANCEMZ)

Notícias Relacionadas
Ads - Anuncio 3
Todos os direitos reservados a Lance. Registrado no GABINFO: REGISTO: 57/GABINFO-DEPC/210/2022 .