desporto mocambicano

Torneio O Treinador já decorre e finta crise no basquetebol na Cidade de Maputo

  • 649

 A bola voltou a saltitar na capital do país após longo período de interregno dos jogos da bola-ao-cesto devido a crise instalada na Associação de Basquetebol da Cidade de Maputo que continua com dificuldades para sanar a dívida que tem para com os árbitros da modalidade estimada em 130 mil Meticais. E para que os escalões de seniores voltassem a competir, os clubes decidiram organizar o torneio O Treinador que decorre desde o último fim-de-semana, com os jogos do escalão sénior masculino a marcarem o regresso das provas.

 

Por Redacção LanceMZ

 

No pretérito fim-de-semana, o pavilhão da A Politécnica foi o escolhido para acolher os jogos da primeira jornada deste certame disputado por seis equipas, com destaque para o Costa do Sol que faz-se presente com duas formações (a principal e a de Sub-20), Maxaquene, Ferroviário de Maputo, A Politécnica e Águias Especiais, sendo esta última uma formação da Polícia da República de Moçambique que pelo segundo ano mostra-se interessada em competir no principal escalão da modalidade.

 

O torneio é disputado no sistema de todos contra todos em uma volta e a segunda fase irá iniciar com as meias-finais, com o cruzamento a ser efectuado no sistema clássico em que o primeiro classificado defronta o quarto e o segundo vai disputar o acesso à final diante do terceiro colocado da fase regular da prova.

 

Na primeira partida da tarde que envolveu as duas equipas “canarinhas” a vitória sorriu para o Costa do Sol Seniores por 56-88, com os o primeiro quarto a terminar com o resultado de 14-25 e o intervalo a chegar com o marcador a assinalar 31-41.

 

Desequilíbrio foi o que se notou na partida entre as Águias Especiais e o Ferroviário de Maputo, sobretudo no primeiro quarto em que os “locomotivas” conseguiram chegar a uma vantagem assinalável de oito pontos (12-20) que ao intervalo cresceu para 12 pontos com o marcador a assinalar 35-47. Na segunda parte, a equipa de Horácio Martins não permitiu uma aproximação da equipa policial que no final do terceiro quarto perdia por 56-72 e a mais valia do plantel do Ferroviário de Maputo que conta com jogadores experientes como Hermelindo Novela e Hugo Martins que puxaram a equipa para uma vitória convincente por 23 pontos de diferença, ou seja, 66-89.

 

A fechar a jornada a A Politécnica mediu forças com o Maxaquene que apresentou muitos furos abaixo das expectativas tendo marcado apenas 9 pontos no primeiro quarto contra 13 da equipa anfitriã. No segundo quarto, a partida continuou a ser disputada num ritmo de pré-época e ao intervalo a produção das equipas continuava fraca, com o marcador a assinalar 18-24, favorável aos “politécnicos”.

 

O terceiro quarto voltou a ser disputado numa toada fraca por parte dos “tricolores” que só anotaram 5 pontos em todos 10 minutos, contra 16 do seu adversário, daí que não foi tarefa difícil para a A Politécnica sair vitoriosa desta contenda com o resultado final a fixar-se em 35-57 favorável para a equipa orientada por José Macuácuà.

 

FEMININOS ENTRAM EM CENA

 

Entretanto, prevê-se para o próximo fim-de-semana o início do Torneio O Treinador em seniores femininos, estando por marcar os jogos que na próxima sexta-feira, 7 de Abril, vão marcar o arranque das provas neste escalão, aguardando-se pela confirmação das equipas inscritas para esta prova.

 

Enquanto isso, os jogos da segunda jornada da prova masculina estão já agendados para o próximo sábado, com o Pavilhão da A Politécnica a voltar a ser o palco das partidas. Pelas 14:00 Horas o Costa do Sol Sub-20 vai defrontar o Maxaquene. Duas horas mais tarde o Costa do Sol Seniores vai enfrentar as Águias Especiais e pelas 18 Horas a A Politécnica vai medir forças com o Ferroviário de Maputo. 

ABCM SEM SOLUÇÕES PARA A CRISE DO BASQUETEBOL EM MAPUTO

 

A equipa de árbitros e dos oficiais de mesa que estão a dirigir os jogos do torneio “O Treinador” é composta por elementos identificados e indicados pelos próprios clubes, tendo em conta que os juízes filiados na Comissão de Árbitros da Cidade de Maputo continuam o seu finca-pé, ou seja, recusam-se em apitar os jogos enquanto não se resolver a questão do pagamento dos seus subsídios em atraso.

 

São cerca de 130 mil Meticais que a Associação de Basquetebol da Cidade de Maputo tem em dívida para com os árbitros, referentes aos subsídios que deveriam ser pagos nos meses de Novembro e Dezembro da época passada.

 

A ABCM refere que não tem capacidade financeira para sanar esta dívida devido ao facto de os clubes não estarem a honrar com os seus compromissos no que diz respeito ao pagamento das taxas de arbitragem e de filiação que são a única fonte de rendimento para a movimentação das provas.

 

Por outro lado, os clubes exigem a realização da Assembleia Geral da ABCM para dentre outros aspectos abordar-se a questão da falta de quórum do elenco dirigido por Felisberto Macuácuà, tendo em conta que nos últimos meses apenas o Secretário Geral, Hélder Amiel, é que tem estado a responder pelo funcionamento da Associação. (LANCEMZ)

 

Notícias Relacionadas
Ads - Anuncio 3
Todos os direitos reservados a Lance. Registrado no GABINFO: REGISTO: 57/GABINFO-DEPC/210/2022 .