Os Caminhos de Ferro de Moçambique e outras entidades do Governo "/> Os Caminhos de Ferro de Moçambique e outras entidades do Governo "/>
desporto mocambicano

Modernização do Estádio da Machava vai custar mais de 630 milhões de Meticais e obras terminam em finais de 2024

  • 1603

Os Caminhos de Ferro de Moçambique e outras entidades do Governo vao investir cerca de 10 milhões de dólares americanos, o equivalente a aproximadamente 630 milhões de Meticais, ao câmbio do dia, na requalificação e modernização do mítico Estádio da Machava, local onde a 25 de Junho de 1975 foi proclamada a Independência Nacional e onde se registaram inúmeras glórias para o futebol nacional.

 

Por Redacção LanceMZ

 

O facto foi revelado pelo Presidente do Conselho de Administração da empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique, Agostinho Francisco Langa Júnior à margem de uma visita ao recinto na qual estiveram presentes o presidente do Clube Ferroviario de Maputo, Arnaldo Manjate, Secretário de Estado de Desporto, Carlos Gilberto Mendes; e quadros desta instituição e da Federação Moçambicana de Futebol, o vice-presidente da Federação Moçambicana de Futebol, Amir Gafur,  dentre outros actores que estarão envolvidos na requalificação da infraestrutura desportiva.

O novo visual do Estádio da Machava contempla a colocação de um novo piso natural, a reposição da iluminação  que será revista, colocação de torniquetes para o controlo das entradas, dentre outras benfeitorias que estão incluídas no projecto do plano director de modernização do deste recinto desportivo que foi interditado neste ano.


Ainda no rol de intervenções, as bancadas, os balneários e a tribuna VIP irão beneficiar de melhorias. Feitas as contas, a primeira fase do projecto irá consumir o valor monetário d
e10 milhões de dólares americanos, cerca de 630 milhões de Meticais ao câmbio do dia, segundo avançou Agostinho Langa Júnior.


"Nós queremos, como disse na tomada de posse da direcção do Ferroviário de Maputo, tornar o Estádio da Machava, num estádio moderno. Estamos a prever fazer isso em duas fases. Até finais do próximo ano, esperamos ter o Estádio da Machava em condições de ser usado e aprovado pela FIFA e pela CAF. Prevemos a segunda fase, que é de cobrir todas bancadas e, possivelmente, esta seja concluída em 2025. Na primeira fase, prevemos gastar 10 milhões
de dólares", explicou Agostinho Francisco Langa Júnior, Presidente do Conselho de Administração da empresa Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique.

 

ARENA DESPORTIVA E CENTRO COMERCIAL EM PERSPECTIVA


Mas que garantir a sustentabilidade da infraestrutura, cenário que está acautelado para que a mesma não se transforme num "elefante branco".
Com o fito de gerar rendimentos através dos espaços envolventes, há um projecto de montagem de uma arena, centros comerciais, campos de treino e um pavilhão gimnodesportivo.


"Fizemos a apresentação à SED e FMF. Este Estádio é emblemático. Queremos ter parcerias com a FMF e SED para poder aproveitar todos os espaços. Estamos a pensar num pavilhão gimnodesportivo. Queremos ter outras parcerias e pensar noutros projectos como arena e muitas actividades que podem estar em volta do estádio", observou Agostinho Francisco Langa Júnior.


O Secretário de Estado de Desporto, Carlos Gilberto Mendes, disse ter ficado "impressionado com o plano director que existe.”
Sustentado a sua posição, Mendes ajuntou que "para além da reabilitação do próprio estádio, há um projecto que os CFM têm para toda a envolvente que engloba outros campos de treino que poderão ser usados para as camadas de formação."

Por isso, frisou: "Ganhamos mais campos numa zona que é tradicionalmente de futebol. Nesta zona de Infulene, pratica-se futebol. Podemos ter o Titanic a estender-se para estes lados. Há, também, o projecto da construção de uma arena que nos faz falta para jogos de salão. Estamos muito satisfeitos com tudo aquilo que foi desenhado para a envolvente do estádio. O estádio vai ficar uma coisa mais moderna, uma coisa mais agradável que vai trazer de volta aquela mística."


Carlos Gilberto Mendes entende ainda que "a questão da sustentabilidade vai ser tida em conta", uma vez que o CFM " tem previsto aqui a construção de centros comerciais e de zonas comerciais ao red
or do estádio que vai dar sustentabilidade. E sempre a pensar no futuro e não apenas no estádio apenas." (LANCEMZ)

Notícias Relacionadas
Ads - Anuncio 3
Todos os direitos reservados a Lance. Registrado no GABINFO: REGISTO: 57/GABINFO-DEPC/210/2022 .