O Ferroviário da Beira desce à quadra da arena de Kigali, este Domingo,  para decidir diante do AS Douanes, do Senegal, a "/> O Ferroviário da Beira desce à quadra da arena de Kigali, este Domingo,  para decidir diante do AS Douanes, do Senegal, a "/>
desporto mocambicano

Ferroviário da Beira no jogo do tudo ou nada este domingo frente a AS Douanes

  • 429

O Ferroviário da Beira desce à quadra da arena de Kigali, este Domingo,  para decidir diante do AS Douanes, do Senegal, a sua continuidade na elite do basquetebol africano, a nível de clubes.

É uma missão de tudo ou nada, onde só a vitória interessa. É ganhar e qualificar-se para meias-finais. Mais que isso, a vitória sobre o representante senegalês dará a garantia de realizar mais dois jogos na Basketball Africa League, nomeadamente, a disputa das meias-finais e dependendo do resultado, poder jogar a final ou a classificativa para o terceiro e quarto lugar. Por isso mesmo, contra o AS Douanes é para deixar a pele em campo.

O adversário está à medida do sonho e objectivo do campeão moçambicano. É aquele que mais se ajusta ao modelo dos locomotivas: jogo pausado e balanceado ao ataque. A capacidade de finalização é que fará diferença nesta partida. Quem falhar menos o cesto vencerá o jogo. Para já, a tendência favorece ao Ferroviário da Beira que, em primeiro lugar, conseguiu manter a estrutura apresentada na conferência Nilo, onde defrontou adversários mais rotinados, com tarimba e ambição para conquistar esta competição, dentre eles, o Petro de Luanda, o maior favorito à conquista da BAL, seguido pelo Al Ahly. Os dois conjutos têm argumentos de sobra para tal.

O Ferroviário da Beira encarou-os até onde pode e adquiriu experiência com isso. Também teve um teste árduo com o Cape Town Tigers quem tem no seu plantel dois jogadores com passagens pela NBA e uns tantos formados nas academias norte-americanas, para além do seu treinador, Rasheed Abdulrahman,  que é americano e já trabalhou com estrelas da NBA, incluindo o Kobe Braynt. Quando foi para vencer, o Ferroviário venceu, até porque precisava dessa vitória para selar a qualificação para esta derradeira fase. Essa é outra particularidade do campeão nacional nesta prova, em diferentes fases, quando teve que vencer, venceu para alcançar os objectivos. Na Elite 16, venceu Urunani, do Burundi, no jogo decisivo para se qualificar à fase de conferências. Voltou a ser assertivo na conferência Nilo, onde venceu o SLAC e Cape Town Tiger justamente quando tal se impunha para se apurar a esta final a 8 clubes.

Espera-se que faça o mesmo, agora diante do AS Douanes, uma equipa cuja referência de pontuação é o norte-americano Chris Crawford ( neste momento terceiro melhor marcador da BAL, com a média de 20.4 pontos, nos 5 jogos disputados na conferência Sahara) , secundado pelo senegalês Jacque Boissy que está em segundo lugar nas estatísticas de roubo de bola, na BAL, com a média de 2.4, em 5 jogos da conferência Sahara. O mesmo atleta foi consagrado, recentemente, MVP, jogador mais valioso, da Copa Saint Michel do Senegal que terminou a 5 de Maio corrente, com o AS Douanes a sagrar-se campeão. O clube senegalês chega aos quartos de final da BAL com bom ritmo competitivo e plantel reajustado, tendo integrado dois ilustres conhecidos do Ferroviário da Beira, nomeadamente, o poste Adama Diakité e o extremo Pepe Maguet Diop, todos do Senegal e que na edição 2022 da BAL fizeram parte da outra equipa senegalesa DUC – Dakar Université Club, que o representante moçambicano venceu por 98-92.

É de salientar que o AS Douanes foi o responsável pela eliminação do US Monastir, actual campeão em título a quem venceu no derradeiro jogo da conferência Sahara, por 60-76 pontos.

O Ferroviário da Beira está avisado de tudo isso e tem bastantes argumentos para contrariar o seu adversário. A manutenção do grupo de jogadores que disputou a conferência Nilo dá espaça à maior sincronização e coesão do grupo cujo 5 inicial é bastante laborioso.

Neste momento, o seu extremo ala Najael Young é o melhor marcador da competição, com a média de 26.1 pontos, em cinco jogos disputados. É também o oitavo melhor ressaltador da BAL com a média de 7.4 bolas ganhas nas alturas. Consta ainda no sétimo lugar das estatísticas gerais de roubos de bola, com a média de 2.0 de lances conquistadas aos adversários. O base William Perry está referenciado em segundo lugar nas assistências, com a média de 6.2 passes decisivos feitos em 5 jogos. É, igualmente, o segundo melhor marcador dos triplos da competição, com 15 lançamentos certeiros. Marcou a maior parte no jogo contra o SLAC, em que estabeleceu na BAL o máximo de 9 triplos marcados num só jogo. Nessa partida, igualou ainda o recorde de 41 pontos marcados por um jogador num só encontro. No quadro global da BAL, é, neste momento, o sexto melhor marcador, com a média de 18.4 pontos.

O extremo base Ismael Nurmamade é de provas dadas. Terminou a conferência Nilo com a média de 12.6 pontos e foi decisivo na vitória sobre o Cape Town Tigers. O poste Bourama Sidibe está entre os 5 melhores ressaltadores da liga, com a média de 8.0 bolas ganhas nas alturas. Também está cotado nos bloqueios onde é o nono melhor jogador da BAL com a média de 1.4 lances importunados.  

O extremo poste Makhtar Gueye tem sido o jogador que melhor faz o acompanhamento aos colegas, desde a fase de construção das jogadas até a finalização, principalmente na conquista das segundas situações de ataque.

Do banco, têm sido solicitados com frequência os jogadores Ayade Munguambe, Célio Chirombe e Paul Mbiya. Outros atletas têm sido chamados pontualmente, em função das circunstâncias do jogo.

Estão todos à disposição e caberá ao treinador estar atento aos momentos e circunstâncias do jogo para tomar as decisões e acção adequada, bem como dar melhor orientação aos jogadores de modo que tenham uma prestação desejável com vista a conquista da tão almejada vitória.      

Notícias Relacionadas
Ads - Anuncio 3
Todos os direitos reservados a Lance. Registrado no GABINFO: REGISTO: 57/GABINFO-DEPC/210/2022 .