desporto mocambicano

Dominguez recebe ovação na ternura dos quarenta

  • 3363

 “Quem eu era, quem sou e quem pareço” cantou o músico português Paco Bandeira no seu afamado tema “A ternura dos quarenta”, que lembrarmos aquilo que está a ser a presença de Elias Gaspar Pelembe, ou simplesmente, Dominguez, na selecção nacional de futebol. Respondendo a pergunta feita por Bandeira, a resposta que encontramos é que Dominguez continua o mesmo numa altura em que está em plena ‘ternura dos quarenta’. Ou seja, no dia em que estava há sete de celebrar 40 anos (a 23 de Novembro), Dominguez encheu o campo, fez uma assistência e aos 71 minutos quando foi substituído viu o Obed Itani Chilume Stadium a ovacioná-lo pela exibição que teve.

 

Por Alfredo Júnior, em Francistown

 

No final do jogo quando questionado pelo LanceMZ sobre a sua performance numa altura em que assinala um percurso de 19 anos ao serviço dos Mambas, Dominguez começou por dizer “idades são apenas números” para depois acrescentar: “é sempre uma honra representar a selecção, não olho muito para a minha idade e o mais importante é dar o melhor de mim, me divertir e procurar ganhar, a minha mente e o corpo ainda dá-me indicações para continuar a jogar, então vamos ver até aonde vou, o importante é que estou feliz e então sempre que poder vou dar o melhor de mim”.

 

Analisando o jogo frente ao Botswana, Dominguez considerou que “o jogo valeu pelos golos que nós marcamos, porque estávamos a jogar num campo difícil e estava muito quente, mas não baixamos a cabeça, sabíamos as contrariedades que haveríamos de encontrar pelo que entramos para ganhar e ultrapassamos todas as contrariedades que tivemos, procuramos fazer os golos que apareceram e eles marcaram devido a facilidade que demos, mas o importante são os três pontos”.

 

Após ter sido substituído, Dominguez viu do banco a equipa ceder à pressão das Zebras, acabando por concordar com a ideia de Chiquinho Conde de que os Mambas não estão talhados para jogar com dois pontas-de-lança.

 

“Concordo com essa ideia, porque a equipa quando joga com mais jogadores apoiando o meio-campo ganha mais equilíbrio e sabemos que temos que atacar e defender todos, mas quando jogamos com dois pontas eles não defendem muito e acabamos por aparecer em dificuldades, mas cada jogo é um jogo, pelo que não posso criticar essa táctica de que não se pode jogar com dois pontas-de-lança, pois depende do momento do jogo”, disse Dominguez.

 

Depois do ligeiro descanso, Dominguez espera que os Mambas estejam ao mais alto nível frente a Argélia, até porque “jogamos em casa e vamos procurar ganhar o jogo, sabemos que vamos enfrentar muitas contrariedades tendo em conta que é um adversário de grande valia no continente africano”. (LANCEMZ)

Notícias Relacionadas
Ads - Anuncio 3
Todos os direitos reservados a Lance. Registrado no GABINFO: REGISTO: 57/GABINFO-DEPC/210/2022 .