Dois jogos e duas derrotas que atiram os “canarinhos” para a última posição do Moçambo "/> Dois jogos e duas derrotas que atiram os “canarinhos” para a última posição do Moçambo "/>
desporto mocambicano

Costa do sol contesta arbitragens nos seus jogos e sugere intervenção da PGR

  • 808

Dois jogos e duas derrotas que atiram os “canarinhos” para a última posição do Moçambola 2023 levaram a Direcção do Clube Desportos da Costa Sol a contestarem as actuações das equipas de arbitragem que dirigiram as suas partidas no Campeonato Nacional de Futebol recém iniciando.


Por Alfredo Júnior

 

Foi numa Conferência de Imprensa sem direito a perguntas colocadas pelos jornalistas que o vice-presidente “canarinhos” apontou o dedo acusador aos homens de apito de estarem a prejudicar o clube, começando com o jogo da primeira jornada em que o Costa do Sol perdeu por uma bola sem resposta frente ao Ferroviário de Quelimane com um golo de grande penalidade que Jeremias da Costa considerou ter sido inventado pelo árbitro Fernando Júnior e o seu assistente.

 

“O árbitro assistente, o senhor Momed Tembe que fazia o acompanhamento dos ataques do Ferroviário de Quelimane, não vislumbrou nenhuma infração no lance. Mas, no mesmo lance, depois de uma hesitação, o árbitro principal, sem grande convicção, assinalou para a marca de grande penalidade. No lance em si, em nenhum momento a bola bateu na mão ou braço de um jogador nosso. Isto é, nesta jogada, não houve um facto punível como grande penalidade que castigasse a nossa equipa”, disse Jeremias da Costa.

 

As queixas apresentadas por Jeremias da Costa em relação a este jogo vão para além des te lance que originou o golo sofrido e o vice-presidente “canarinhos” foi contundente para alegada sonegação dos factos por parte da comunicação social.


“A nossa equipa marcou um golo que, sem justificação, foi anulado pela equipa de arbitragem. No lance do golo que marcamos, não vislumbramos uma infracção que justificasse a anulação do nosso golo, quer tenha sido um fora-de-jogo ou uma falta ofensiva. Relativamente ao lance do nosso golo que foi anulado, lamentamos a forma parcial com que parte dos órgãos de Comunicação Social, quer públicos assim como privados, não fizeram menção a este facto”, apontou da Costa.


Em relação a actuação do árbitro Filimão Correia que dirigiu o jogo em que o Costa do Sol perdeu por uma bola sem resposta frente a Black Bulls Jeremias da Costa recorreu a imagens televisivas para sustentar as suas queixas começam no lance em aos 26 minutos, quando o jogo ainda estava empatado a zero, o defesa da ABB, Chamboco, agrediu ostensivamente o jogador Mbulu.


“A agressão foi tão notória que o expectável era que, numa primeira instância, o árbitro principal, senhor Filimão Correia sancionasse disciplinarmente o Chamboco com um cartão amarelo antes de ulteriores considerações. Mas o que aconteceu foi, primeiro uma admoestação verbal e, só depois de estar perto do nosso jogador, já estatelado em campo e verificar a gravidade da lesão, o árbitro decidiu por sancionar com o cartão amarelo o jogador adversário. No lance atrás relatado, julgamos que ficou por expulsar o jogador da ABB com um cartão vermelho”, queixou-se o vice-presidente do Costa do Sol.

 

Ainda neste jogo os “canarinhos” queixam-se de uma grande penalidade após de uma pretensa falta de Nené sobre Isac, lance em que o clube mais titulado do futebol moçambicano considera ser bastante para se assinalar um castigo máximo.

 

“Na segunda parte, o Isac sofreu duas faltas em simultâneo do defesa Nenê, já dentro da grande área mas, escandalosamente, o árbitro não assinalou para a marca de grande penalidade. Muitas vezes e depois de assinaladas algumas faltas, os jogadores da ABB iniciavam jogadas antes da autorização do árbitro e num momento em que o arbitro encontrava a apurar a gravidade das lesões e nessas situações ao invés de o arbitro mandar parar o jogo, limitava-se a abandonar o processo em que estava envolvida e seguir a jogada. Este comportamento não é normal num jogo de futebol. O guarda redes da ABB demorava tempo exagerado para a reposição da bola e o arbitro, mais uma vez, ficou a assistir estas situações.

 

Perante os factos atrás relatados o Costa do Sol protesta com veemência a actuação tendenciosa das equipas de arbitragens, que tendem a falsear a verdade desportiva e prejudicar a sua equipa, exigindo por isso uma actuação enérgica por parte das autoridades que superintendem o desporto, em particular o futebol.

 

“O Clube de Desportos da Costa do Sol solicita as entidades que superintendem o futebol nacional, nomeadamente a Federação Moçambicana de Futebol, a Liga Moçambicana de Futebol, bem como a CNAF e, ainda, o Governo, através da Secretaria de Estado de Desporto, para que considerem de grave actos que atentam para a verdade desportiva e sancionem quem os pratique, sob pena de as actuações tendenciosas da arbitragem e as reacções negativas dos seus agentes, Imprensa e dos adeptos, prejudicam gravemente a credibilisação da Indústria do futebol, com impacto na cadeia de valores e economia nacional”, apelou Jeremias da Costa.

 

Jeremias da Costa foi mais longe recordando que a Procuradoria Geral da República é chamada a intervir, tendo em conta que em anos anteriores já recebeu denúncias sobre a promiscuidade e actos de corrupção no seio da arbitragem do futebol moçambicano.


“Já houve nomes de árbitros que foram entregues a PGR, não sabemos se o processo continua em investigação ou está na gaveta, se tivesse avançado acreditamos que teria dado outra forma de os agentes das terceiras equipas actuarem no futebol, mas como o processo não andou eles acham-se que são senhores todo poderosos e podem fazer e desfazer e ninguém lhes faz nada. Solicitamos que a PGR resgate esse processo ou inicie outros em que haja indícios de falta de verdade desportiva para que possamos assegurar que o resultado é aquele que as equipas fizeram no jogo e não o resultado combinado com o uma terceira equipa”, apelou Jeremias da Costa.

 
Os “canarinhos” consideram que estes e outros factos atentam ao bom nome do futebol moçambicano, bem como afugentam potenciais patrocinadores para o Moçambola. Na próxima jornada o Costa do Sol defronta o Baía de Pemba FC, o antepenúltimo classificado com dois pontos. (LANCEMZ)

 

Notícias Relacionadas
Ads - Anuncio 3
Todos os direitos reservados a Lance. Registrado no GABINFO: REGISTO: 57/GABINFO-DEPC/210/2022 .