No final do jogo Moçambique – Malawi, o Seleccionador Nacional Chiquinho Conde foi elevado aos ombros pelos jogad "/> No final do jogo Moçambique – Malawi, o Seleccionador Nacional Chiquinho Conde foi elevado aos ombros pelos jogad "/>
desporto mocambicano

Chiquinho dedica qualificacso ao povo martirizado pelo terrorismo em Cabo Delgado

  • 474

No final do jogo Moçambique – Malawi, o Seleccionador Nacional Chiquinho Conde foi elevado aos ombros pelos jogadores dos Mambas, que exaltaram o papel do técnico na tão celebrada qualificação. Conde não perdeu o ar que lhe caracteriza e na hora de fazer o balanço distribuiu o mérito por todos, desde jogadores, membros da equipa técnica, Direcção da Federação Moçambicana e, sobretudo, dedicou ao povo martirizado da província de Cabo Delgado que desde 2017 tem sofrido com os ataques terroristas que já causaram milhares de mortes e perto de um milhão de deslocados internos.

 

Por Alfredo Júnior

 

 

Na colectiva de imprensa no término do encontro, Chiquinho Conde considerou que “está todo mundo de parabéns, parabéns aos moçambicanos, nós somos uma parte fundamental para dar alegria ao povo num momento difícil que muitas pessoas atravessam e nós estávamos ávidos de vitórias, nesse caso de qualificar Moçambique, há nove anos que o país não ia a um CHAN e volvidos nove anos contra muita gente céptica conseguimos”.

 

SUPERARAM COBRAS E LAGARTOS

 

O Seleccionador Nacional lembrou-se do “início do nosso percurso, quando perdemos um jogo particular com Eswatini, perdemos inclusive um jogo de treino com a ABB, então era cobra e lagartos para cima do grupo de trabalho e foi preciso um trabalho árduo, pedi a Federação e a Liga para que me concedessem aquele interregno de um mês, que não foi do agrado de todos, eu percebi aos treinadores que também estão de parabéns por isso porque grande parte de trabalho é deles, visto que escolho os melhores de cada equipa, o meu trabalho também não é fácil, deles também não será e como tal”.

 

Para Chiquinho Conde a qualificação para o CHAN-2022 extravasa o campo desportivo, daí que o timoneiro dos Mambas partilhou esta conquista com quem vive momento de instabilidade nas suas vidas, provocada pelo terrorismo.

 

“Quero juntar-me a essa satisfação que é de todos, mas particularizar a província de Cabo Delgado e toda gente que sofre e padece com aquela situação de guerra do terrorismo. Futebol é o ópio do povo, eu como chefe dessa equipa técnica e como líder do grupo quero partilhar este momento histórico porque eu disse aos meus jogadores é importante nós conseguirmos ganhar algo onde as pessoas menos esperam ou ninguém esperava que esse grupo que jogo e milita no Moçambola conseguisse”, referiu.


QUALIFICAÇĀO VALORIZA MOÇAMBOLA

 

A qualificação foi alcançada pelos jogadores que militam no Campeonato Nacional de Futebol, aliás como impõem as regras da competição, o que levou o Seleccionador Nacional a tecer rasgados elogios à principal competição futebolística do país.

 

“Muitas vezes o Moçambola é muito maltratado, mas estão aí dignos, jogadores fantásticos que precisam de carrinho e aconchego e precisam fundamentalmente que toda estrutura e os patrocínios venham para poder ajudar e melhorar o nosso campeonato, por isso parabéns povo moçambicano parabéns porque esta vitória também é vossa", comentou Conde.

 

Chiquinho Conde é de opinião que esta qualificação é fruto de trabalho árduo, de um grupo que se mostrou coeso desde o início dos trabalhos em Junho para tomar parte no torneio regional na África do Sul.

 

"A nossa conquista começou desde a nossa junção para a Taça COSAFA, nós criamos um grupo fantásticos, este jogadores são briosos, souberam sofrer, fazer três jogos em cinco dias, jogar numa situação difícil, todos aqueles 23 que estão aqui e, foram depois introduzidos alguns, o Edmilson que saiu, parabéns porque contribuiu imenso para esse sucesso, não pode estar aqui hoje connosco mas estão os outros e, alguns que estão lesionados como o Danilo, que fazem parte deste grupo, aquilo me apraz dizer hoje perante as situações técnicas ou táticas que não é menos relevante é a satisfação enorme de ver esses jogadores a conquistarem algo tão grandioso que há nove anos nós não conseguíamos, fizeram história e são poucos aqueles que conseguem, por isso a caminhada ainda está aí, agora preparar serenamente, criar sinergias mais poderosas para podermos atacar aquilo que é a nossa representação no CHAN”, disse Chiquinho Conde. (LANCEMZ)

 

Notícias Relacionadas
Ads - Anuncio 3
Todos os direitos reservados a Lance. Registrado no GABINFO: REGISTO: 57/GABINFO-DEPC/210/2022 .