desporto mocambicano

Bruno Langa: das chuteiras de segunda mão ao crescimento numa casa sem água e nem energia no Xipamanine

  • 146

Dentro de alguns meses Bruno Langa terá uma família numerosa. Pai de duas meninas, a terceira está a caminho e a felicidade é perceptível não só em campo, mas também diante do microfone. O lateral-esquerdo falou na rádio oficial do União Desportiva de Almería, da Liga Espanhola, sobre a sua chegada ao Mediterrâneo e mostra o seu entusiasmo não só pelo campeonato actual, mas pelo que pode vir no futuro porque a porta para a sua continuidade na Segunda Divisão continua aberta.

 

Por: Transcrito do Diário de Almería

 

Aos 26 anos é uma pessoa com os pés no chão, nada de entrar numa bolha que o faça esquecer as suas origens porque lembra que "comecei a minha carreira num bairro humilde de Moçambique, onde dei os primeiros toques na bola até chegar à equipa." "Depois apostaram em mim em Portugal e acabei de chegar a Almería." Passou por Maxaquene, Black Bulls, Amora e GD Chaves antes de assinar com a equipa rubro-negra.

 

Ele diz que a união familiar foi fundamental para progredir, ressalta ainda que comprou chuteiras usadas para poder realizar seus sonhos. Esse caminho para chegar ao topo do desporto é o que diferencia Bruno Langa: “Somos cinco irmãos, não havia luz na nossa casa e nem água. Deus e eu sempre tivemos o apoio da minha família. Meu pai não podia e em casa ajudamos minha mãe. Ela me comprou chuteiras usadas para jogar futebol e por isso sei o que me custou chegar até aqui. Essas situações fazem com que vemos a melhor versão das pessoas porque nos ajudamos uns aos outros e isso nos levou no caminho certo. Continuamos igualmente humildes na vida”.

 

Foi uma contratação relâmpago para o Almería. A saída de Sérgio Akieme para o Stade Reims activou a busca por um substituto no cargo e Bruno Langa cumpriu os requisitos para acompanhar Álex Centelles. Na verdade, tudo aconteceu tão rapidamente que até chegar ao aeroporto de Madrid Barajas não conseguiu contactar a família: “No dia 31 de Janeiro recebi do Chaves a informação de que Almería me queria e no dia seguinte, quando cheguei a Madrid Liguei para minha família e eles ficaram felizes com essa oportunidade e desde que cheguei na Europa me dão toda força. Graças a eles tenho conseguido jogar na categoria mais alta”.

 

POSIÇÃO ALTERADA DE ACORDO COM A EVOLUÇÃO

 

Uma das muitas anedotas que ele pode contar sobre sua carreira tem a ver com posição. Assim que assinou em Portugal, os treinadores viram-no como um extremo, uma posição mais ofensiva, até que aos poucos se fortaleceu como lateral e até hoje sempre competiu lá: "Fui para Portugal como extremo , mas lá me colocaram como lateral esquerdo e não mudei mais. O campeonato na Espanha é muito duro e aos poucos vou conseguir mostrar a minha melhor versão. Sábado contra o Atlético de Madrid motiva o vestiário a muito porque queremos mostrar que a vitória pode vir."

 

Gosta de se concentrar e não é propriamente um jogador de futebol que dá muitas ordens, mas gosta de recebê-las. Além disso, estabeleceu uma boa amizade com Iddrisu Baba, que há alguns meses reconheceu que estava passando por momentos difíceis devido à situação da equipa: “Sou um jogador que fala pouco em campo, gosto mais de atuar do que falando, mas gosto que falem comigo, estabeleci uma amizade linda com todos, embora nos últimos dias tenha me aproximado muito de Baba”.

Notícias Relacionadas
Ads - Anuncio 3
Todos os direitos reservados a Lance. Registrado no GABINFO: REGISTO: 57/GABINFO-DEPC/210/2022 .