Os árbit "/>  

Os árbit "/>

desporto mocambicano

Árbitros do Baía Ferroviário de Maputo respondem a inquérito aberto pela CNAF  

  • 94

 

Os árbitros que estiveram envolvidos na polémica partida entre o Baía de Pemba FC e o Ferroviário de Maputo estão a responder a um inquérito aberto pelo Comissão Nacional de Árbitros de Futebol (CNAF), Francisco Machel, que revelou que os factos que forem recolhidos do mesmo ditarão a abertura ou não de um processo disciplinar para com os envolvidos. Por outro lado, o resultado do jogo que culminou com a vitória dos baianos por uma bola a zero não foi homologado pelo Conselho de Disciplina da Liga Moçambicana de Futebol (LMF) na sequência do protesto apresentado pelos “locomotivas” da capital do país relativo a esta partida da terceira jornada do Moçambola.

 

Por Artur Manhique

 

 

Com efeito, a Liga Moçambicana de Futebol reuniu-se juntamente com a Comissão Nacional de Árbitros de Futebol (CNAF) na manhã de sexta-feira, 10  de Maio, para avaliar a actuação da arbitragem nas primeiras jornadas do Moçambola.  Na ocasião, Alexandre Mano, vice-presidente da LMF, ressaltou que a qualidade da arbitragem é fundamental para a competitividade e a integridade do Moçambola.

 

“Como todos sabemos, a arbitragem tem um papel crucial na consolidação da credibilidade e da competitividade do Moçambola, portanto é uma parte muito importante para dar excelência àquilo que é a nossa prova e obviamente também para garantir a imparcialidade e a aplicação consistente daquilo que são as regras do jogo”, explicou o vice-presidente.

 

MACHEL PROMETE INQUÉRITO CÉLERE

 

Por outro, Francisco Machel, presidente CNAF, respondeu às preocupações levantadas quanto à actuação dos árbitros de “elite” após os últimos episódios com especial destaque para o jogo entre Baía de Pemba e Ferroviário de Maputo e comprometeu-se com uma investigação rápida e rigorosa.

 

“Neste momento, em relação a este assunto, nós recebemos já os relatórios dos árbitros. Portanto, em termos de acções, na terça-feira, nomeamos um grupo de colegas da CNAF para iniciar um inquérito e nós temos de certeza que este inquérito vai culminar com a elaboração dos processos disciplinares em relação àquilo que foram os ascendentes do jogo”, referiu Francisco Machel.

 

Na partida em questão, estiveram envolvidos os árbitros Paulo Afito de Nampula com principal, Momade Tembe e Macário Goveto com 1⁰ e 2⁰ assistente, Chabane Wilson com 4ª árbitro, assessorados pelo Hamido Romão e o dirigente da CNAF garante que já foram todos notificados.

 

“Os árbitros foram notificados. Já receberam as notificações e demos um prazo muito curto para poderem nos passar as suas explicações em relação aos descendentes deste jogo”.

 

COMPROMISSO COM A VERDADE DESPORTIVA

 

Por último, reiterou o compromisso da Comissão em formar árbitros de “elite” e sublinhou a importância de recuperar a imagem e a dignidade da profissão.

 

“Quando tomamos posse como CNAF, afirmamos aqui que estamos a formar árbitros de elite. Nós vamos continuar com esta designação porque reconhecemos que estes são os melhores árbitros que temos em Moçambique. São de elite, no nosso contexto moçambicano. E nós dissemos que queremos recuperar esta imagem, devolver a dignidade do árbitro. E é o que nós estamos a fazer”, avançou.

 

Machel concluiu reiterando a importância da colaboração de todos os envolvidos no futebol moçambicano para elevar o padrão da arbitragem e garantir um jogo justo e digno. (LANCEMZ)

Notícias Relacionadas
Ads - Anuncio 3
Todos os direitos reservados a Lance. Registrado no GABINFO: REGISTO: 57/GABINFO-DEPC/210/2022 .